Nota de repúdio contra a agressão verbal sofrida por  Belmira da Silva Melgueiro liderança e articuladora das mulheres

A Federação das Organização Indígenas do Rio Negro – FOIRN vem a público repudiar veementemente o ato de VIOLÊNCIA VERBAL sofrida pela senhora Belmira da Silva Melgueiro liderança e articuladora das mulheres, tendo em vista que, de acordo com informações, o fato narrado ocorreu em uma das atividades onde esta referida liderança mulher indígena estava usando o seu direito de fala quando neste momento foi interpelada por uma liderança indígena por nome Domingos Sávio Garrido Pinto, que inferiu palavras como “você não sabe de nada” e “cala boca” com gestos intimidador.

 A violência contra as mulheres constitui-se uma das principais formas de violação dos seus direitos humanos, atingindo-as em seus direitos à vida, à saúde, e à integridade física.

Nos últimos anos tem crescido a visibilidade da luta das mulheres indígenas no Brasil, assim como protagonismo dessas lideranças femininas dentro dos movimentos sociais em geral. Este fortalecimento e união entre as mulheres indígenas tem conquistado visibilidade nas últimas décadas, ocupando cada vez mais os espaços como ato de resistência.

A FOIRN tem feito um grande esforço para acompanhar este fenômeno com intuito de considerar a paridade de gênero no seu corpo como movimento, criando o departamento das mulheres para que pudesse ouvir seus anseios e suas necessidades específicas.

Enquanto mulheres, lideranças, guerreiras geradoras e protetoras da vida, iremos apoiá-las a se posicionar sempre e lutar contra as questões das violações que afrontam os seus corpos, seus espíritos, nossos territórios, difundindo nossas sementes, nossos rituais, nossas línguas, para que possamos juntos garantir a nossa existência. 

O machismo é mais uma epidemia trazida pelos europeus, assim o que é considerado violência pelas mulheres não indígenas pode não ser considerada violência por nós. Isso não significa que fechamos nossos olhos para as violência que reconhecemos que acontecem em nossas aldeias, mas sim que precisamos levar em consideração que o intuito é exatamente contrapor.

Neste sentido estamos através deste documento reforçando a nossa solidariedade com a liderança e articuladora das mulheres Belmira da Silva Melgueiro e repudiando o fato ocorrido na Assembleia Geral Extraordinária da Foirn na Comunidade de Cartucho Médio Rio Negro. Portanto a FOIRN tomará as devidas providências e continua atuando no combate contra o machismo, pois não basta o aumento da representatividade das mulheres dentro e fora das aldeias, em todos os ambientes que sejam importantes para implementação dos nossos direitos, não basta reconhecer as narrativas das mulheres indígenas é preciso reconhecer as narradoras e apoiá-las nesta luta.

Leia aqui a nota na íntegra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: