Foirn apoia a paralisação dos professores e servidores da rede estadual de ensino em três municípios do Rio Negro

Professores e servidores da rede estadual de ensino dos municípios de Barcelos, Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira entraram em greve  a partir de segunda-feira, 26/03. Escolas estaduais do interior também confirmam paralisação.

29512975_1981229292192626_9183807499017641342_n
Em São Gabriel da Cachoeira.

Apoiados por estudantes e pais, professores e servidores da rede estadual de ensino do município de São Gabriel da Cachoeira , em reunião na manhã desta segunda, 26/03,  decidiram paralisar as atividades.

Em Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro professores também confirmaram a paralisação das atividades. “Estamos na luta! Três escolas estaduais paralisaram as atividades”, confirma professor Martinho Baniwa.

Professores organizam atividades na maloca em São Gabriel da Cachoeira

Pela parte da tarde, a Foirn recebeu os professores em sua Casa do Saber, onde, o diretor presidente, Marivelton Rodriguês Barroso, afirmou que a paralisação iniciado é importante e necessário, e que a Foirn, como instituição que representa e luta pelos direitos dos povos indígenas apoia a causa e a greve dos professores. “A Casa do Saber está de portas abertas para os professores”, afirmou durante o início das atividades.

Na maloca com palestras e animação, os professores da rede estadual formou uma comissão para coordenar a greve na sede do município.

Desabafo de uma mãe

“Estou acompanhando a luta dos professores desde o início, o meu filho esta triste, eu estou triste, porque eu sei que ele depende deles pra ter uma formação, pra ser um profissional, pra ter um futuro promissor, mas também entendemos que de um jeito ou do outro estão ensinando a lutar pelos seus direitos, entendemos que em todas as áreas o profissional tem que ser bem remunerado, para que ele execute ou ensine o seu aluno com alegria, portanto venho pedir também o apoio dos pais ,dos responsáveis de cada aluno, quanto mais gente, o governador vai atender o apelo dos professores e os nossos filhos retornarão às salas de aula. Eu tenho feito a minha parte e convido você que está lendo esse post pra nós acompanhar !vamos nos unir pelo bem dos nossos filhos! Eu sou a favor da greve! Eu quero que o governador faça o reajuste do salário dos professores sim! Eu quero que o meu filho tenha educação de qualidade”!,  escreve Gabriela Souza em seu perfil no facebook.

A greve não tem prazo pra terminar

A mobilização em São Gabriel da Cachoeira é coordenada pelo Conselho dos Professores Indígenas do Alto Rio Negro (Copiarn) e Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam). Professores lutam por melhorias de condição de trabalho, reajuste de salário e outros benefícios.

A Comissão que coordena a greve em São Gabriel da Cachoeira, confirmou que a greve vai continuar até que o governo tome providências ou dê respostas às reivindicações.

As escolas estaduais do interior também confirmaram paralisação de atividades a partir desta segunda-feira.

29683315_10215720805550393_7998347459596302881_n
Em Iauaretê, rio Uaupés. | Vanderleia de Jesus Cardoso

E segue abaixo a lista das principais reivindicações dos professores como:

  • Reajuste salarial da inflação em 30%(período de Abril de 2014 a Março de 2018);
  • Aumento Real de salário de 5%;
  • Piso Salarial Estadual;
  • Plano de Saúde Gratuito para os dependentes;
  • HTP de 33% da jornada para todos os professores, como manda a Lei Federal 11.738/2008(e não só 20%, e não só para alguns);
  • Reajuste do Auxilio Alimentação em 100% e pagamento feito por turno de trabalho e não por CPF, para todos os profissionais de Educação (professores, pedagogos, e administrativo);
  • Não desconto de 6% sobre o Vale-Transporte;
  • Punição e Assedio Moral praticado por Diretores;
  • Implementação imediata da lei Estadual 257/15, que determina a quantidade de alunos por sala de aula;
  • Criação da  lei Estadual que regulamenta o rateio de possíveis sobras do FUNDEB;
  • Diminuição de 4 pra 3 anos do tempo de Progressão por tempo de Serviço;
  • Regulamentação correta da Recuperação Paralela de acordo com as leis federais;
  • Concurso Público para todos os cargos;
  • Assinatura imediata de todas as progressões, promoções e enquadramentos atrasados;
  • Homologação imediata da estabilizações dos professores que já cumpriram seu estágio probatório;
  • Eleição Direta para Gestores;
  • Cumprimento e Revisão do PCCR;
  • Desconto em folha de pagamento das mensalidades dos sindicalizados do Asprom/Sindical;
  • Liberação dos Diretores da Asprom/Sindical para atuação no sindicato.

Acréscimo nosso;

  • Condições dignas de trabalho com manutenção de lâmpadas, trincos e quadros brancos em condições de uso;
  • Vigilância(armada) nas escolas para dar  segurança aos alunos e professores;
  • Sistema de câmara de vigilância para controle de todos os pavimentos das escolas;
  • Fardamento para os alunos que estão abaixo da linha de pobreza e não tem condições de adquirir;
  • Reposição de material didático pedagógico para ampliar e dar mais qualidade ao ensino como; impressoras, data show, TVs, Xerox, copiadoras, cadernos, lápis e materiais utilizados como subsídios para o conhecimento;
  • Merenda escolar regionalizada e de qualidade e em quantidade de atender nossos alunos;
  • Número de servidores auxiliares de serviços gerais e merendeiras para atender a demanda do numero de alunos;
  • Acréscimo no vencimento dos funcionários administrativos que atuam nas escolas estaduais.

Documento final do I Encontro de Educação Escolar Indígena do Rio Negro

DSC_0956
Professores de Santa Isabel do Rio Negro apresentam propostas. Foto: Ray Baniwa/Foirn

Cerca de  100 participantes dos três municípios Santa Isabel, São Gabriel e Barcelos, sendo a maioria professores e lideranças indígenas, se reuniram nos dias 25 a 27 de outubro de 2017, em Santa Izabel do Rio Negro.

Na abertura oficial com a presença das autoridades convidadas, o presidente da Foirn (Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro), destacou a importância do evento para o Rio Negro, afirmando que é uma oportunidade de avaliar o que avançou após a pactuação em 2014. “É uma oportunidade de verificar e apontar o que avançou nos três municípios do rio Negro na implementação da política de educação escolar indígena”.

O presidente destacou ainda o papel da federação, que é mobilizar e lutar pelos direitos dos povos indígenas do Rio Negro, entre estes direitos está o direito dos povos indígenas ter uma educação específica, já garantido na legislação, mas, ainda não complemente posta em prática.

Ao longo dos dias do encontro houve apresentações das instituições presentes,  os debatedores promoveram  reflexões e debates importantes para a  avaliação da implementação da política de educação escolar indígena pactuados em 2014.

Os participantes do encontro em Santa Isabel recomendaram que o conjunto de ações  pactuadas se configure em uma iniciativa para o Programa pela Educação Escolar Indígena na Amazônia.

O I encontro de educação escolar indígena no Rio Negro foi realizada pela FOIRN em parceria da  FUNAI, SEMEC/SGC, Prefeitura de Santa Isabel, MEC e IFAM – Campus São Gabriel da Cachoeira.

Os secretários de educação e  prefeitos de São Gabriel da Cachoeira e Barcelos não compareceram no encontro.

Você pode acessar o documento final do encontro aqui, neste link: http://bit.ly/2h93oHQ

Foirn e parceiros mobilizam municípios do Rio Negro para avaliar a educação escolar indígena no âmbito do TEERN, em Santa Isabel do Rio Negro

Capa_TEERN

O I Encontro de Educação Escolar Indígena no Rio Negro, será realizado nos dias 25 a 27 de outubro, em Santa Isabel do Rio Negro.

O evento irá reunir mais de 200 participantes, vindos dos três municípios que compõem o TEERN (Território Etnoeducacional Rio Negro), entre estes, lideranças indígenas, professores, estudantes, gestores municipais, vereadores e representantes dos orgãos responsáveis pela educação escolar indígena (SEMECs, SEDUC e MEC).

O Território Etnoeducacional do rio Negro foi o primeiro a ser criado em 2009,  reúne instituições de ensino, órgãos governamentais e não governamentais para discutir, elaborar e pactuar um plano de ação voltado para garantir que ações de educação escolar indígena sejam realizadas no território.

A última revisão feita foi em 2014 num evento realizado na maloca da Foirn em São Gabriel da Cachoeira, onde várias instituições assumiram o compromisso de desenvolver ações de acordo com suas competências.

O encontro em Santa Isabel do Rio Negro terá como foco avaliar a pactuação realizada em 2014 e firmar um plano de ações para próximos anos.

A foirn nos últimos meses vem  articulando e mobilizando parceiros  para o encontro  no âmbito doTerritório Etnoeducacional seja realizada, e garantir que lideranças indígenas participem e propõem melhorias para as ações da educação escolar indígena no Rio Negro.

________________________________

Programação: 

Dia – 25/10/2017 (Quarta Feira)
Manhã
8:00 – Credenciamento;
8:30 – Mesa de abertura;
– Breve histórico da Educação Escolar Indígena no rio Negro e os TEEs/ Ivo Fontoura antropólogo Indígena- Tariano;
9:00 – Políticas de atendimento da Educação Escolar Indígena na região do rio Negro, no
âmbito do TEERN;
SEMEC/SEMED: São Gabriel, Barcelos e Santa Isabel;
DEBATEDORES: André Baniwa, Armando Menezes e Higino Tenório
– Debate
10:00 – Intervalo
10:15 – Políticas de atendimento da educação escolar na região do rio Negro e TEERN;
Coordenadorias SEDUC Santa Isabel, São Gabriel e Barcelos, GEEI/AM;
DEBATEDORES: Juvêncio Cardoso CABC, Carlos Nery e Geraldo Veloso;
– Debate
12:00 – Almoço
Tarde
14:00 – IES: UEA, UFAM, IFAM e outras instituições;
Debatedores: Ivo FONTURA-Antropólogo indígena e Sidneia Fontes Prof.ª Indígena
-Debate
15:30 – Intervalo;
15:45 – – Políticas de atendimento da Educação Escolar Indígena na região do rio Negro, legislação e controle social no TEERN;
– FOIRN, Lideranças Indígena (Edilson Melgueiro e Domingos Camico)
– Debate;
18:00 – Encerramento das atividades do dia
Dia – 26/10/2017 (Quinta feira)
Manhã
8:00 – Políticas de atendimento da educação escolar indígena na região do rio Negro, legislação e controle social no TEERN;
– FUNAI e ISA;
– Debate
10:00 – Intervalo
10:15 – Como fortalecer as conquistas do Movimento Indigna no rio Negro, no âmbito da Educação Escolar Indigena e TEERN;
– Marivelton – Diretor FOIRN, Elias Brasilino – Diretor IFAM/Campus SGC
– Debate

12:00 – Almoço
Tarde
14:00 – Politicas da Reforma do Ensino Médio e Educação Escolar Indígena;
– Ministério da Educação e Cultura MEC e SEDUC/AM
– Debatedores: Tarcisio IFAM e gestores de Escola
– Debate;
15:30 – Intervalo
15:45 – Redefinição das ações dos entes federados do TEERN;
– Trabalhos em GRUPOS
18:00 – Encerramento das atividades do dia
Dia – 27/10/2017 (Sexta feira)
8:00 – Redefinição das ações dos entes federados do TEERN;
– Trabalhos em GRUPOS
Leitura do documento final do TEERN e pactuação das ações dos entes federados do TEERN;
– Aprovação
10:00 – Intervalo
10:15 – Leitura do documento final do TEERN e pactuação das ações dos entes federados do TEERN;
– Aprovação
12:00 – Almoço
Tarde
14:00 – Encaminhamentos finais
15:40 – Informes
16:00 – Mesa de encerramento
– Os materiais de apoio são os documentos encaminhados e pactuados durantes os encontros, conferencia, assembleias:
– Plano de Ação do TEERN 2008 e 2014.
– Conferencia Nacional de Politicas Indigenistas CNPI;
– Conferência Nacional de Educação Escolar Indignas I e II CONEEI e;
– Encaminhamentos da Assembleia Geral da FOIRN

 

A FOIRN entregou ao Ministro da Educação a proposta do Instituto dos Conhecimentos Indígenas e Pesquisa do Rio Negro

15578259_10208783724456495_3253608125761290778_o

Lideranças, professores indígenas, estudantes e representantes de instituições locais receberam o Ministro da Educação, Mendoça Filho no encerramento da etapa regional da II Conferencia Nacional da Educação Escolar Indígena.

No seu pronunciamento disse que o orçamento da educação terá aumento de 10 bilhões no ano de 2017, falou da importância da realização da conferencia nacional de educação escolar indígenas e os povos indígenas cobraram respeito, adequação das políticas para indígenas e investimentos, criação do Sistema de Educação Escolar Indígena entre outros.

E ainda, se comprometeu em apresentar uma proposta de solução voltada para a  política diferenciada de construção de escolas indígenas culturalmente adaptadas no alto rio negro em um prazo de 30 dias.

A FOIRN entregou em sua mão a proposta do Instituto dos Conhecimentos Indígenas e Pesquisa do Rio Negro ( ICIPRN). O evento ocorreu no dia 21/12 na maloca da FOIRN em São Gabriel da Cachoeira.

Saiba mais:http://bit.ly/2hjGrEr

Saiba mais sobre o ICIPRN:

FOIRN participa do projeto “Contando e dançando a história dos Povos do Alto Rio Negro” em São Gabriel da Cachoeira

Contando e dançando a história dos Povos do Alto Rio Negro é o projeto desenvolvido por um grupo de professores da Escola Estadual Dom João Marchesi junto com os alunos do ensino médio.

O objetivo é trazer a discussão sobre a identidade cultural dentro do espaço escolar.  “O projeto começou quando avaliamos a necessidade de trazer para o ambiente escolar ações voltadas para a valorização da identidade cultural dos estudantes da nossa escola”, disse professora Lorena Araújo, uma das coordenadoras do projeto.

Para isso está sendo feito uma série de atividades no campo, onde os estudantes possam fazer um levantamento bibliográfico existente sobre a cultura dos 23 povos indígenas do Rio Negro.

Por trabalhar diretamente com os povos indígenas do Rio Negro, a FOIRN é uma das instituições visitadas. Onde coordenadores de setores foram convidados para apresentar os trabalhos realizados pela instituição e os principais resultados até aqui conquistados.

Todas as publicações sobre os povos do Rio Negro foram expostos aos estudantes para consulta. Como também folders, boletins informativos foram distribuídos aos estudantes.

De acordo os orientadores, conhecer os trabalhos da FOIRN, principalmente a sua história é conhecer a luta dos pais e avós deste alunos e conhecer a sua própria história. Uma luta pelos direitos, uma luta pela preservação da diversidade cultural, principalmente as histórias e as línguas.

Ainda serão realizadas várias atividades voltadas para valorização da cultura dentro do espaço escolar, uma ação que vem sendo coordenado nos últimos anos por alguns grupos de professores indígenas que atuam nas escolas da rede estadual de ensino.

As palestras aconteceram durante as tardes dos dias 29 a 31 de agosto na maloca da FOIRN em São Gabriel da Cachoeira.

 

 

 

 

Professores da escolas estaduais da sede e do interior de São Gabriel da Cachoeira vão para rua exigir melhores condições de trabalho, pagamento de salário atrasado e melhorias na educação escolar no município

DSC06315

Professores da rede estadual de ensino, estudantes, pais e os moradores de São Gabriel da Cachoeira, saíram para as ruas protestar e exigir melhorias na educação escolar, na manhã desta sexta-feira, 10/06.

Coordenado pelo SINTEAM (Sindicato de Trabalhados em Educação do Estado Amazonas)  e Conselho dos Professores Indígenas do Alto Rio Negro (COPIARN), o ato teve como principal objetivo de exigir melhorias na educação escolar, entre os quais estão: pagamento de salários dos professores (não recebiam desde março deste ano), falta de merenda escolar e condições de trabalho.

Um documento contendo as revindicações  elaborado pelos professores foi entregue formalmente no encerramento do ato ao coordenador da SEDUC local, Henrique Vaz.

As escolas foram paralisadas em três dias (quarta-feira a sexta-feira).

A FOIRN participou do ato pela educação, representado pela Diretora Presidente, Almerinda Ramos de Lima e Ivo Fernandes Fontoura, Coordenador do Departamento de Educação.

“A FOIRN que tem como missão lutar e defender os direitos dos povos indígenas não poderia ficar de fora. Se a merenda e material escolar já não chegam aqui nas escolas da sede, lá nas comunidades onde ficam as escolas estaduais é ainda pior. Recebemos várias cartas das escolas do interior tanto da rede estadual como da rede municipal que relatam  problemas como a falta de estrutura, material e merenda escolar entre outros”, disse Ivo.

Escolas Estaduais no interior em greve

DSC00018

A escola Estadual Kariamã também paralisou as atividades nesta semana por falta de merenda escolar e material didático. O manifesto na comunidade Assunção do Içana, foi realizado no dia 08/06, quarta-feira.

Em Iauaretê, no médio Uaupés também houve manifesto durante a Assembleia Geral da Coordenadoria das Organizações Indígenas do Distrito de Iauaretê – COIDI, realizado entre 01 a 05 deste mês.

O ato feito em Assunção e em Iauaretê é apenas um retrato da situação de todas escolas da região do município de São Gabriel da Cachoeira.

SAMSUNG CAMERA PICTURES
Condição precária de um prédio escolar na região de Iauaretê. 

Projeto da FOIRN apoia futuros núcleos do Instituto de Conhecimentos Indígenas e Pesquisas do Rio Negro

Coordenador da AEITYM recebe motor e bote do diretor da FOIRN de referência à Região do Tiquié e Afluentes e Baixo Uaupés. Foto: SETCOM
Coordenador da AEITYM recebe motor e bote do diretor da FOIRN de referência à Região do Tiquié e Afluentes e Baixo Uaupés. Foto: SETCOM

A FOIRN através do Projeto apoiado pelo Horizont3000, deu o primeiro passo de estruturação e fortalecimento dos futuros núcleos do Instituto de Conhecimentos Indígenas e Pesquisas do Rio Negro (ICIPRN).

Dos seis núcleos previstos, três já estão definidos: Escola Baniwa e Coripaco – EIBC (Médio Içana), Escola Indígena Tukano Ye’pá Mahsã (Baixo Uaupés) e Escola Indígena Yande Putira (comunidade Canafé – Baixo Rio Negro).

Diretor da FOIRN de referência à região do Médio e Baixo Rio Negro entrega notebook ao líder da comunidade Canafé. Foto: SETCOM/FOIRN
Diretor da FOIRN de referência à região do Médio e Baixo Rio Negro entrega notebook ao líder da comunidade Canafé. Foto: SETCOM/FOIRN

Com o objetivo de apoiar  e fortalecer as atividades de pesquisa intercultural de pesquisadores que atuam nessas escola, a FOIRN, nesse primeiro semestre repassou equipamentos: EIBC – 1 motor Yamaha 15hp e bote de 8 metros; AEITYM – 1 motor Yamanha 15hp e bote de 6 metros; Yande Putira – 1 Notebook e 1 bote de 7 metros.

O diretor da FOIRN, Nildo José Miguel Fontes, disse que objetivo é iniciar a estruturação desses três futuros núcleos do ICIPRN, e fortalecer as iniciativas de pesquisas que já acontecem nesses locais, como também apoiar as atividades da escola.

O professor Aluiso Joel Caldas Azevedo, disse que os equipamentos irão ajudar muito os trabalhos da escola, dos professores e seus alunos na realização das pesquisas e outras atividades pedagógicas.

Diretor da FOIRN de referência à região do Içana e Afluentes entrega equipamentos para Coordenação da EIBC
Diretor da FOIRN de referência à região do Içana e Afluentes entrega equipamentos para Coordenação da EIBC

Para saber mais sobre a Educação Escolar Indígena e o Instituto de Conhecimentos Indígenas e Pesquisas do Rio Negro acesse a publicação sobre a temática, aqui

Terra e Cultura para o bem viver indígena

Blog da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro

Blog II da EIBC Pamáali 2014 a 2016

Bem-Vindo ao blog II da escola Pamáali, localizada no Médio Rio Içana-Alto Rio Negro. Aqui você encontra notícias da região do Alto Rio Negro sobre Educação Escolar Indígena e outros assuntos. Deixe seus comentários!

CAIMBRN

Coordenadoria das Associações Indígenas do Médio e Baixo Rio Negro

Blog do Povo Baniwa e Koripako

Nossa presença na Web

Antropologia médica

Diálogos entre pesquisadores latinoamericanos

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Uma (in)certa antropologia

O tempo, o clima e a diferença

Rio Negro

Blog do Ray Baniwa