ACIR promove oficina de ordenamento pesqueiros na TI Médio Rio Negro em Santa Isabel do Rio Negro.

A Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN) e o Instituto Socioambiental (ISA) apoiam a realização da Oficina da Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinhas (ACIR), que coordena o Projeto Serras Guerreiras de Tapuruquara.

No período de 09 a 13 de maio de 2022 estará promovendo duas oficinas, a primeira na comunidade de boa Vista e outra na comunidade de Massarabí pertencentes a Terra Indígena do Médio Rio Negro, no município de Santa Isabel do Rio Negro.

Com o propósito de expandir as atividades turísticas nesta região para o processo de consulta e regulamentação de turismo de pesca e solte de acordo com a instrução normativa da FUNAI que regulamenta a atividade na Terra Indígena.

Participam da coordenação das oficinas juntos com a ACIR, a Foirn, ISA e Icmbio

Marivelton, líder indígena da Amazônia, é premiado internacionalmente por projeto de turismo

Marivelton Baré , Presidente da FOIRN. Foto: Juliana Radler/ISA

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O líder indígena do povo Baré e presidente da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), Marivelton Barroso, de 29 anos, foi eleito nessa sexta-feira, 26, um dos cinco vencedores do prêmio internacional de viagens “Changing Your Mind 2021” (Mudando Sua Mente 2021), da revista americana Vanity Fair, um dos periódicos mais consagrados do mundo.

A categoria premia as personalidades que mais se destacam pelo mundo com seus projetos inovadores de turismo. Marivelton levou o prêmio por sua atuação na promoção do turismo sustentável nas comunidades indígenas de Santa Isabel do Rio Negro, no interior do Amazonas, com o projeto “Serras Guerreiras de Tapuruquara”, construído e apoiado pela organização não governamental (ONG) Garupa, em parceria com outras entidades.

“O prêmio vem de uma forma bastante surpresa e ao mesmo tempo emocionante que é ter o reconhecimento de um trabalho que é feito em grupo. A nossa representatividade se dá no âmbito coletivo. O ‘Serras Guerreiras…’ permite o visitante conhecer toda a nossa realidade, contada por nós, levada por nós e poder ter a dimensão do que é viver na Amazônia e na Terra Indígena aqui no Rio Negro”, disse Marivelton neste sábado, 27, em entrevista à REVISTA CENARIUM.

Luta pelos direitos

Natural de Santa Isabel do Rio Negro, Marivelton Baré luta pelos direitos dos povos indígenas do médio e baixo Rio Negro há, pelo menos, 16 anos. Ele conta que o projeto surgiu da vontade da comunidade de mostrar aos turistas um pouco mais da cultura local, em 2017. Para isso, era preciso buscar parceiros e promover atividades sustentáveis que pudessem gerar emprego e renda aos indígenas da região.

“A gente já tinha o atrativo, mas precisaria dos parceiros para promover o turismo e graças a ele conseguimos oferecer aos turistas uma experiência inovadora, envolvendo cinco comunidades de Santa Isabel do Rio Negro. O turista pode ver as apresentações culturais, pode degustar da alimentação regional, visitar trilhas, subir as serras. Na comunidade, vai poder ver a exposição de artesanatos. É uma vivência ímpar para quem nunca veio à região à procura de produtos indígenas do rio Negro”, salientou.

Em 2018, o líder indígena com o apoio da comunidade começou a experiência de trabalhar com turismo em Santa Isabel do Rio Negro. A iniciativa foi estabelecida com o apoio dos parceiros. Segundo o presidente da Foirn, a proposta se manteve em um ritmo bom até a pandemia da Covid-19 se instalar nas comunidades tradicionais na Amazônia e suspender as viagens.

“Toda renda com o turismo é gerada para as famílias. A pandemia veio para atrapalhar, devastou nossa região, levou nossos familiares e, praticamente, suspendeu com essa continuidade do projeto que busca, a partir da percepção indígena, mostrar como vive nosso povo”, finalizou o líder Baré.

Publicado pelaREVISTA CENARIUM em: https://revistacenarium.com.br/marivelton-lider-indigena-da-amazonia-e-premiado-internacionalmente-por-projeto-de-turismo/

Serras Guerreiras de Tapuruquara em destaque no jornal O Globo, do RJ

Matéria de capa do jornal O Globo destaca o projeto de turismo em terra indígena Serras Guerreiras de Tapuruquara, no Rio Negro

Neste domingo, dia 13 de outubro, um dos principais jornais do país deu destaque de capa sobre o projeto de turismo em terra indígena realizado pela ACIR – Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinha em parceria com a Garupa. Esse trabalho inovador é apoiado pela FOIRN e tem assessoria do Instituto Socioambiental (ISA). O turismo de base comunitária em terra indígena é autorizado por instrução normativa da Funai e se mostra como uma das principais atividades econômicas que podem trazer benefícios às comunidades do rio Negro, conciliando geração de renda, preservação da cultura e do meio ambiente.

Visite o site da Expedição: http://www.serrasdetapuruquara.org/

Veja a matéria do jornal O Globo, escrita pela jornalista Cristina Fibe: https://oglobo.globo.com/sociedade/projeto-turistico-busca-resgatar-cultura-gerar-renda-para-indigenas-no-amazonas-24013143

Comunidades indígenas através da associação e parceiros iniciam a construção de um projeto de Ecoturismo no município de Santa Isabel do Rio Negro (AM).

14352152_1112369072143948_4915355613631697493_o

Projetos e experiências já implantados inspirando novos projetos na região do Médio Rio Negro. Após a implantação do Projeto de Pesca Esportiva no Rio Marié em 2014, através da Associação das Comunidades Indígenas do Baixo Rio Negro (Acibrn), dessa vez, a Foirn, e seus parceiros (Instituto Socioambiental – ISA e Fundação Nacional do Índio (CR Rio Negro), estão iniciando trabalho junto com a Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinhas (Acir) de levantamento de atrativos turísticos na área de abrangência, que congrega as comunidades: Aruti, São João II, Castanheiro, Cartucho, Uabada II e Boa Vista.

O objetivo é a construção do Projeto de Ecoturismo ( visitação). Uma reposta a reivindicação dessas comunidades para organizar e desenvolver atividades de geração de renda e ao mesmo tempo contribua na gestão do território dos povos indígenas que vivem nessa região (ver o mapa abaixo).

mapa

A região de abrangência da Acir por estar situado próximo à cidade de Santa Isabel do Rio Negro tem sido constantemente invadido por barcos de turistas que realizam a atividade de forma desorganizada. (Saiba mais:Operação da FUNAI apreendeu turistas realizando atividades de pesca esportiva sem autorização em Terra Indígena Médio Rio Negro II).

Em abril de 2014 a Acir com apoio da Foirn e Funai (CR Rio Negro) realizou uma consulta ampliada nas comunidades de abrangência para a discussão sobre atividades produtivas, dentre elas a possibilidade de realização do turismo de Pesca Esportiva, haja vista que já havia o assédio por empresas de pesca na região.

Tomando como base as experiências prévias onde os empresários prometiam benefícios mas que, ao final, não cumpriam com o acordado, as comunidades se posicionaram contra a atividade em seu território tradicional.

As lideranças enfatizaram que não havia garantia de preservação das áreas e que isso colocava em risco a sustentabilidade de seus descendentes.

Em 2015 durante oficina sobre o Turismo nas Terras Indígenas realizada pela Funai em parceria com a Foirn e Instituto Socioambiental,  a qual várias associações indígenas participaram, representantes da Acir presentes na oficina, apontaram a existência de atrativos turísticos nas comunidades de abrangência da associação.

A expedição experimental já tem data: 10 a 20 de Novembro. 

São 5 serras, trilhas e mais atrativos culturais (como a Maníaka Murasí – dança da mandioca, foto acima) mapeadas no levantamento realizado (que ocorreu de 04 a 09 de setembro).

“As comunidades estão animadas para começar a atividade”, disse,  Marivelton Rodriguês Barro, diretor de referência à região, que participou do trabalho de levantamento realizado.

A primeira expedição será avaliativa, e contará com a participação do  grupo Garupa (saiba mais sobre a ONG Garupa),  que dedica a fazer do turismo sustentável uma ferramenta para a preservação dos patrimônios culturais e naturais do Brasil e para o desenvolvimento socioeconômico de rincões esquecidos – e fascinantes.

A viagem para o médio Rio Negro teve como integrantes do grupo de trabalho a diretoria da Acir,  diretor da FOIRN – Marivelton Rodriguês, Camila Barra – Antropóloga do Instituto Socioambiental e Guilherme Veloso da FUNAI – CR Rio Negro.

Terra e Cultura para o bem viver indígena

Blog da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro

Blog II da EIBC Pamáali 2014 a 2016

Bem-Vindo ao blog II da escola Pamáali, localizada no Médio Rio Içana-Alto Rio Negro. Aqui você encontra notícias da região do Alto Rio Negro sobre Educação Escolar Indígena e outros assuntos. Deixe seus comentários!

CAIMBRN

Coordenadoria das Associações Indígenas do Médio e Baixo Rio Negro

Blog do Povo Baniwa e Koripako

Nossa presença na Web

Antropologia médica

Diálogos entre pesquisadores latinoamericanos

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Uma (in)certa antropologia

O tempo, o clima e a diferença

Rio Negro

Blog do Ray Baniwa